Biblioteca Digital - UNIMEP

Visualização do documento

Título

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DE GOVERNANÇA PARA GERENCIAMENTO DE RISCO NA SUCESSÃO DE EMPRESAS FAMILIARES

Orientador

Prof. Dr. Eduardo Eugênio Spers

Autor

CESARINO CARVALHO JUNIOR

Palavra chave

estrutura organizacional de governança, sucessão, riscos empresariais, empresa..

Grupo CNPQ


Programa

MS - ADMINISTRAÇÃO - MESTRADO PROFISSIONAL

Área

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

Data da defesa

01/01/2008

Nº Downloads

1079

Resumo

O estudo investiga a estrutura organizacional de governança adotada pelas empresas familiares na busca de superar os riscos no gerenciamento do fator sucessão. O desenvolvimento empírico foi baseado na pesquisa qualitativa, por meio do método de múltiplos casos, procurando, como objetivo geral, avaliar como o fator sucessão é percebido nas estruturas organizacionais das empresas pesquisadas. Como objetivos específicos, buscase identificar os modelos estruturados pelas empresas pesquisadas; identificar o nível de conhecimento dos conceitos de estrutura organizacional de governança pelos líderes dessas empresas; caracterizar os riscos inerentes ao fator sucessão; identificar eventos relacionados ao fator sucessão que afetaram os negócios dessas empresas; verificar o estágio de implementação de atividades de controle para o fator sucessão; e, propor um modelo de estrutura organizacional de governança para esse fator. As pesquisas foram realizadas com um grupo de líderes, sócios em quatro empresas familiares na Região de Indaiatuba, interior do Estado de São Paulo. A pesquisa contemplou as técnicas e os métodos de coletas, por meio de entrevistas em profundidade, pesquisa-ação e revisão de documentos, sendo analisados os dados por meio do conteúdo e das observações. Os resultados permitiram analisar os objetivos estabelecidos e o problema inicial de pesquisa. Os riscos associados ao fator sucessão foram evidenciados e a necessidade de tratá-los por meio de um planejamento sucessório foi corroborado pelos entrevistados, embora não tenha sido evidenciado tal tratamento. O planejamento é necessário que seja estabelecido por meio de uma estrutura organizacional formal de governança corporativa, mas não foi identificado um modelo de estrutura organizacional de governança corporativa para minimizar os riscos de sucessão nas empresas familiares pesquisadas. Não sendo identificada uma estrutura, uma sugestão de modelo de estrutura foi elaborada com base nos estudos da revisão literária e das necessidades identificadas nas pesquisas. Novos estudos, não abordados neste trabalho, podem ser realizados, considerando os outros dois fatores, poder e gestão, destacados ao longo da revisão da literatura; e, a influência cultural na minimização dos riscos associados ao fator sucessão, no caso empresas familiares com origem japonesa, identificada na pesquisa realizada, pois, esses assuntos são inerentes a uma estrutura organizacional de governança de empresas familiares que busquem minimizar os riscos, seja na sucessão, no poder ou na gestão.

Abstract

The study investigates the organizational structure of governance adopted by family enterprises in order to overcome the risk factor in the management of succession. The empirical development was based on qualitative survey through the multiple cases method, aiming at the general purpose of assessing how the succession factor is mitigated in the organizational structures of the companies surveyed. As specific objectives, it was searched to identify models structured by the surveyed companies, the level of knowledge of organizational governance concepts by the leaders of these companies, characterizing the risks inherent to the succession factor, identifying events related to succession factor that affected the businesses of these companies and proposing a governance structure model to this factor. The surveys were performed with a group of leaders, members in four family enterprises in the region of Indaiatuba, São Paulo. The survey included the techniques and methods of collection through in-depth interviews, action survey and review of documents, and data analyzed with the use of the content and comments. The results made possible examining the goals established and the initial survey problem. The risks associated with the succession factor were highlighted and the need to treat them through a succession planning was reinforced by interviewees, but no evidence was revealed as regards the conduction of the treatment. The planning needs being established through a formal organizational structure of corporate governance, but a type of organizational structure of corporate governance to minimize the risk of succession in family enterprises surveyed was not identified. No structure having been identified, a model structure was proposed with base on the studies of literary review and needs revealed in the survey. New studies, not addressed in this work, can be conducted considering the other two factors, power and management, stressed along the review of the literature; and the cultural influence to minimize the risks associated with the succession factor in case of family businesses from Japanese origin, identified in the survey. These issues are inherent in an organizational structure of governance of family enterprises that strive to minimize risks, either in succession, in power or in management.